compre holistix
k

Mecanismo natural do corpo humano, a ansiedade pode aparecer em níveis bons ou prejudiciais à saúde. Conversamos com o psicólogo Thiago Holland para entender como lidar com ela e quando é a hora de procurar ajuda profissional

A espera pela resposta da entrevista de um emprego que você queria muito, os dias que precedem uma viagem, o casamento da sua melhor amiga… Todas essas são situações que nos causam um tipo de ansiedade. Mas, resultados de exames, términos de relacionamento, brigas com pessoas que amamos também causam. Isso porque a ansiedade é uma resposta natural do nosso corpo. “É uma antecipação de algo que está por vir. O nosso cérebro entende que existe um perigo e se prepara para aquela situação. Ela é considerada um mecanismo de defesa que nos protege dessas situações”, diz o psicólogo Thiago Holland. E, pode crer, ela pode ser boa ou ruim. “A ansiedade boa é a resposta do nosso cérebro a algo que entendemos como ruim. Essa ansiedade nos protege e nos permite estar conscientes para eventuais necessidades de sobrevivência. O indivíduo está em um estado de alerta positivo. Já a ansiedade Ruim acontece quando essas situações se tornam constantes e repetitivas. Geralmente a pessoa não tem mais controle e sente ansiedade de maneira desproporcional e a todo momento, o que causa medo e sofrimento profundos”, continua Thiago.

            Mas, antes de entender quais níveis de ansiedade são seguros, é preciso entender seus fatores de causa. De acordo com o psicólogo, não se sabe ao certo quais são. Mas, eles se dividem nas seguintes categorias:

“Genéticos: a propensão de ter ansiedade já vem no DNA. É sabido que em algumas pessoas já exista genes que guardam essas informações dos antepassados.

Traumas: situações de risco, acidentes, mortes inesperadas, assaltos ou qualquer acontecimento que impacte a vida da pessoa, pode desencadear a ansiedade prolongada.

Traumas infantis: algumas experiências vividas na infância nos acompanham na vida adulta. Isso vale tanto para as coisas boas quanto para as ruins. Esses eventos negativos deixam marcas muito fortes e geram traumas enormes, o que faz desencadear a ansiedade.

Doenças físicas: problemas cardiovasculares e doenças hormonais como hipo ou hipertireoidismo se não tratadas de maneira correta, podem desencadear quadros de ansiedade. Isso acontece porque elas liberam substâncias que podem causar instabilidade emocional”.

            Estarmos em estado de alerta é completamente normal, garante Thiago. O problema é quando esse estado começa a fazer parte do dia a dia. Ainda que a gente saiba que não é preciso ter uma patologia para buscar terapia ou psicanálise – uma vez que são base para o autoconhecimento como um topo – vale buscar a ajuda de um profissional quando os primeiros sintomas forem percebidos. “Muitas vezes as pessoas deixam para buscar ajuda quando a ansiedade já está em um estado patológico, quando a qualidade de vida já está prejudicada e isso é muito ruim para o indivíduo. Como eu sempre digo: se observe, observe os sinais que o seu corpo te dá. Quanto mais cedo buscar essa ajuda, melhor será o impacto desse tratamento na sua vida”, diz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.