compre holistix
k

Ainda que natural, nem sempre sentir ansiedade é uma experiência tranquila. Há tipos e tipos de ansiedade e, a verdade, é que podemos experimentar diferentes tipos de mal-estar quando estamos ansiosos. Mas, além da dica da terapia, vem ver outras ferramentas que podem ajudar:

A ansiedade é pauta de muitas conversas: entre amigos, colegas de trabalho, médicos e pacientes. Nos últimos anos, com o isolamento social decorrente da pandemia, estar em estado ansioso ficou ainda mais frequente e constante – e não é para menos. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com o maior número de pessoas ansiosas do mundo inteiro: são quase 19 milhões de pessoas que sofrem deste mal. No entanto, é importante explicar que a ansiedade é uma resposta natural do nosso corpo frente a situações que desconhecemos. Mas como assim?

A ansiedade funciona como um mecanismo de defesa e é a maneira que nosso organismo encontra de nos proteger: nos colocando em estado de alerta diante de possíveis riscos futuros. Palma das mãos suadas e extremidades frias, boca seca, friozinho na barriga, alguns tremores, sensação de medo: parece familiar? 

No entanto, é preciso cautela na hora de nos referir à ansiedade apenas como algo comum. Existe um limite para até onde é normal sentir ansiedade – e esse limite é único para cada pessoa e depende de uma infinidade de circunstâncias. Se a ansiedade se torna frequente  e/ou duradoura, se começa a limitar  tarefas do dia a dia e gera sentimentos físicos angustiantes, por exemplo, é hora de consultar um profissional de saúde – psicólogo ou psiquiatra são os mais comuns.

Agora, falando sobre o sentimento de ansiedade, é possível recorrer a  algumas ferramentas simples que podem ajudar a lidar melhor com ela. Lidar com qualquer tipo de sentimento nem sempre é fácil, não é verdade? E assim é, também, com a ansiedade.

A ansiedade enquanto sentimento 

Existem diversas situações no nosso cotidiano que podem disparar o sentimento de ansiedade: antes do date, da apresentação em  público ou da divulgação dos  resultados de um exame, por exemplo. Apesar de natural, percebemos esse sentimento como algo ruim porque nos dá medo – e, convenhamos, é comum que sintamos medo diante de situações que não conhecemos e que não sabemos os resultados.

Verdade é (e já falamos disso aqui na Holistix), que nosso cérebro não gosta de nada que não nos é familiar. Por isso, mesmo que seja difícil, é importante entender que nosso cérebro ama rotina, ele gosta mesmo é de repetição (de “todo dia ele faz tudo sempre igual”). Seguir uma rotina evita que lidemos com imprevistos e coisas desconhecidas, que é, justamente, o que nosso cérebro quer. Tomar decisões novas, independentemente de quais sejam elas, demanda muito esforço mental, sabia? Por isso, nosso cérebro evita. Afinal, prazer é nossa força motriz. 

Como suavizar e lidar melhor com o sentimento de  ansiedade?

Quando a ansiedade aperta, é difícil pensar em formas de aliviar a sensação. Por isso, separamos dicas práticas e simples que apresentam resultados positivos não para fugir, mas para lidar melhor com esse sentimento. Vem ver:

Etiquetar os sentimentos

Muitas vezes, quando um pensamento ou sentimento esquisito nos passa pela cabeça, temos um reflexo de jogá-lo pra frente: “Não quero pensar ou lidar com isso agora!”. E chacoalhamos a cabeça. Mas, em vez de deixar mais uma pendência para o seu futuro eu, que tal analisar e etiquetar essa sensação?

Quando um sentimento surgir, olhe para ele de forma racional. O que sinto pensando nessa determinada situação? É medo, confusão, angústia? Feche os olhos e imagine-se etiquetando esse sentimento e a situação que o desencadeou. 

Se preferir, anote em um caderno, como o Check-in Matinal. Dessa forma, é possível ter uma visão mais certeira e analítica dos seus sentimentos e reconhecer padrões e situações que te fazem senti-los.

Construir uma rotina

Consistência é a chave – e adoramos falar sobre isso. Quem é saudável tem rotina, viu? Além de dar uma mãozinha para o nosso cérebro, evitando imprevistos e contratempos, seguir uma rotina de forma consistente alivia o nosso dia a dia, já que conseguimos diluir afazeres.

Procure escrever em uma cartolina, Check-in Matinal ou calendário todos os dias da semana e determine os dias exatos para fazer algumas tarefas. Por exemplo: domingo é dia de organizar a semana que está por vir, então, anote seus compromissos e horários. Segunda-feira é dia de ir ao mercado e fazer uma caminhada ao final do expediente… E assim por diante.

Rotina perfeita é a rotina que funciona para você: faça experimentos e encontre a sua fórmula ideal. Mas é importante persistir e ter paciência até que o novo hábito se torne natural, a ponto de você nem percebê-lo mais como um esforço. 

Movimentar o corpo

Falando em caminhar depois do expediente… Movimentar o corpo é preciso – por mais que você já tenha ouvido falar isso milhões de vezes. É real! E funciona de verdade. Praticar qualquer atividade física ajuda o seu corpo a remover (ou ao menos, aliviar tensões). 

Não é mágica, é neurociência: mover o corpo libera dopamina, serotonina, noradrenalina e endorfina – e tudo isso ajuda na sensação de felicidade e bem-estar, aliviando a angústia da ansiedade.

Reeducar os pensamentos

Pode parecer difícil, mas é possível treinar o nosso olhar para os nossos próprios pensamentos. Diante de situações que não conhecemos, é natural que sintamos medo e a negatividade tome conta da gente. Pode parecer algo “good vibes” demais, mas pense bem: existem motivos concretos para considerar  resultados negativos?

Quando estamos ansiosos para uma prova, nosso medo é tirar notas baixas. Mas o que nos faz pensar assim? Se estudamos e nos dedicamos, não há motivos para vislumbrar cenários ruins. 

Que tal passar a reeducar os pensamentos para evitar essas antecipações incômodas? 

Mudar o foco

Talvez seja hora de mudar o foco – nem que isso signifique fazer uma pausa e deixar pra lá (por um tempo), aquilo que não sai da cabeça. Que tal fazer um chá, cozinhar alguma receitinha rápida e gostosa ou tomar um banho quentinho para aliviar a mente?

Alguns minutos de meditação, de respiração profunda, de brincadeiras com o pet também podem ajudar. Não existe passo a passo do que funciona, mas é legal a gente lembrar que sempre há a opção de nos dar um descanso. Lembrando que nosso cérebro funciona sempre melhor (inclusive, e, principalmente, quando falamos de tarefas que envolvem criatividade) quando estamos descansados!

Extra: Técnica de Grounding

Outra dica que pode ajudar nas horas que a ansiedade resolve “pegar pesado”, é recorrer à técnica de Grounding, que consiste em usar nossos cinco sentidos para retornar a  atenção para o real. “Ground”, em inglês, significa chão, terra. Em tradução livre, seria uma técnica que nos ajuda a tirar a cabeça das nuvens e do mundo do “e se”, para o que efetivamente está aqui no chão, ao nosso redor. Vem ver como funciona:

Repita o processo quantas vezes quiser: o que importa é sentir-se melhor. Lembrando, sempre, que saúde mental é coisa séria e merece a devida atenção e tratamento, viu? Se você acredita que está passando por um momento difícil, não hesite em pedir ajuda e buscar acompanhamento adequado. Técnicas complementares como as citadas nunca substituem o tratamento indicado por um profissional de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.