compre holistix
k

O médico especialista em Ayurveda e Medicina Tradicional Chinesa, Dr. Ricardo Balsimelli, ensina a olhar com mais cuidado para a nossa saúde na estação mais fria do ano

A chegada da estação mais fria do ano provoca diversas mudanças não só de clima, é claro, mas também no nosso corpo, sabia?

Aqui no Hemisfério Sul, o inverno é uma estação de tempo seco, com ventos fortes e temperaturas amenas. Além disso, os dias são mais curtos e as noites, mais longas. Com isso, nosso organismo percebe as mudanças e começa a se comportar de uma maneira diferente – e o Ayurveda explica.

A palavra “inverno” vem do latim, hibernu, que significa tempo de hibernar. E, bom, faz sentido, não? Muitos animais se recolhem no inverno e até a gente acaba querendo ficar mais em casa, debaixo das cobertas. Com isso, também, temos mais fome: nosso corpo gasta mais energia para nos manter aquecidos e, por isso, precisamos dar uma atenção maior para a alimentação.

“No inverno, o que acontece é que com temperaturas mais baixas, nossos poros tendem a fechar e a energia dentro do corpo tende a aumentar. A gente perde menos energia para fora do corpo – no calor, é o contrário: com os poros abertos, a gente transpira, no sol a gente pode enfrentar mais moleza, falta de energia… No inverno, não”, explica Dr. Ricardo.

Com isso, nossa energia digestiva também aumenta. É por isso que sentimos mais fome e, de fato, existe uma necessidade de comer mais. Com o metabolismo acelerado, surge aquela necessidade de produzir mais calor e, para isso, precisamos de mais calorias – que conseguimos através da alimentação. 

Para ajudar nosso organismo nessa missão, podemos inserir na rotina alimentar alguns alimentos específicos, ricos em gordura boa, como no caso das castanhas, azeite, óleo e leite de coco. 

“Também é superimportante que nossa alimentação seja composta por alimentos quentes e cozidos – tanto a temperatura fria dos alimentos quanto a falta de cozimento fazem com que nosso fogo digestivo se apague. Alimentos gelados ou crus demandam mais esforço da nossa digestão para que sejam “aquecidos” e digeridos dentro da gente – o que demanda mais energia e tempo”, explica o especialista.

Esse aumento de energia do nosso corpo no inverno traz uma demanda de fazer exercícios físicos também, viu? Nada de preguiça! Como a gente não vai suar naturalmente, precisamos estimular esse comportamento para que as toxinas do nosso organismo saiam através do suor. Assim, evitamos que nosso corpo tenha que trabalhar ainda mais para eliminá-las de outras formas. 

“Outras formas de entrarmos em sintonia com a estação é buscando tomar banhos de sauna, se possível, para que fiquemos aquecidos, bem como fazer escalda pés e usar e abusar de almofadas térmicas quentinhas. Principalmente, as regiões entre o umbigo e púbis, lombar e sola dos pés, são pontos que trazem muita saúde se aquecidos, já que são relacionados aos meridianos que nutrem a energia dos rins (órgão com mais tendência à perda de calor no frio)”, conta o médico.

Boas pedidas de inverno: 

  • Usar especiarias na comida, como cúrcuma, gengibre, cravo, canela… E, claro, use e abuse dos chás!
  • Evitar fazer detox, para não vulnerabilizar o corpo frente ao frio e deixar esses processos para a primavera, estação mais adequada.
  • Hidratar o corpo com óleo de gergelim morno também é superpositivo por conta de suas propriedades anti-inflamatórias. Aproveite para passar depois da esfoliação a seco!

Gostou das dicas? Aproveita para colocá-las em prática a partir de já e tenha um inverno mais saudável e prazeroso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.