compre holistix
k

Para além da beleza, envelhecer – o caminho natural e inevitável da vida – tem se tornado assunto recorrente e até tendência explorada por especialistas em comportamento da perspectiva da saúde. O amadurecimento da população traz questionamentos: o que podemos fazer desde já quando o assunto é se cuidar?

Uma das inúmeras heranças da pandemia foi, sem dúvidas, aprender a olhar para dentro com mais atenção e zelo. De repente, entendemos a necessidade e importância de desacelerar e observar nossa saúde e imunidade, por mais difícil que isso seja.

Olhar com mais atenção para a nossa alimentação, encontrar formas de fazer escolhas mais saudáveis no dia a dia e buscar uma rotina mais equilibrada desde já para colher bons frutos no futuro se tornou vital.

Quando nos voltamos ao contexto atual, fica claro: o home office pode andar de mãos dadas com o sedentarismo, caso a gente não se atente. Por isso, um dia a dia com exercícios físicos também se tornou essencial. Uma questão global de saúde pública veio à tona e muita gente aproveitou o ensejo para focar na própria saúde e visar um envelhecimento saudável. Há muita coisa para se viver ainda!

E tudo isso é mais do que necessário, viu? Especialmente considerando que a população do Brasil está envelhecendo. Em 2019, o IBGE soltou dados de que o número de idosos já ultrapassou a marca dos 32 milhões. Hoje, já existem mais brasileiros acima de 60 anos do que crianças com até 9 anos de idade no nosso país.

Não à toa, alguns temas relacionados entraram em cena: alimentos naturais e com ação antioxidante, saúde mental em dia, tempo de qualidade e saúde sexual. E aí, a tendência ganhou até nome próprio que já começa a correr o mundo todo: aging well (envelhecer bem, em português livre). Já parou pra pensar nisso? 

Combate aos radicais livres: a importância da ação antioxidante

Envelhecer é um processo do corpo todo e acontece, inclusive (e principalmente), a nível celular. Por isso, a busca por alimentos saudáveis e com ação antioxidante disparou neste período e se manteve em alta. 

O nosso corpo oxida, tal como um pedaço de ferro. É a ação do mundo sobre a gente – e é completamente normal. A oxidação é um processo químico natural que ocorre com as células do nosso corpo. Essa reação produz os radicais livres, que causam o envelhecimento celular. 

Falamos sobre esse assunto por aqui, explicamos inclusive a importância de apostar em uma dieta rica em alimentos naturais. Evitar processados, ultraprocessados e alimentos de origem animal podem ajudar a dar um boost no nosso sistema natural de neutralização desses radicais livres e reduzir, assim, a oxidação do nosso organismo.

É por isso que não abrimos mão dos nossos superalimentos. Antes conhecidos como “alimentos funcionais”, com um potencial de não apenas nutrir o corpo, mas influenciar positivamente uma ou mais funções fisiológicas, como a defesa antioxidante, a imunidade, a digestão, a saúde hormonal, entre outras; os tais dos superfoods vêm ganhando espaço no meio científico por serem concentrados em um ou mais nutrientes ou compostos bioativos, que podem prevenir e até tratar doenças ou desequilíbrios de saúde.

Quais são eles? Linhaça, chia, aveia, quinoa, castanha do Pará, nozes, soja, alho, tomate, abacate, semente de abóbora, mirtilo, cranberry, goji berry, uva, açaí, couve, cúrcuma, maca peruana, cacau, matcha

Sexualidade não é tabu, é saúde

Outra virada de chave foi a da sexualidade. Com o isolamento, muita gente se voltou ao próprio corpo na busca de prazer e também de imunidade, viu? Um orgasmo faz muito mais pela nossa saúde do que a gente imagina – a começar pela descarga de hormônios do bem-estar, como a oxitocina, serotonina e dopamina. 

Além da sensação gostosa imediata, o hábito de estimular o próprio prazer (na masturbação ou no sexo) faz com que nosso assoalho pélvico passe por uma sequência de contrações e relaxamento involuntários, que colabora diretamente para o fortalecimento desses músculos. 

Saúde mental em dia

Um corpo são só existe em uma mente sã – e vice-versa. Quando foi a última vez que você se dedicou a uma prática de meditação? Ou se engajou em alguma atividade que tinha como foco o seu alívio mental? 

Ouvir uma música calma, caminhar sem fones de ouvido organizando pensamentos, escrever em um diário como o Check-in Matinal são algumas formas de inserir o cuidado com a mente no dia a dia e, assim, zelar por uma saúde mental duradoura e que colabora com a nossa longevidade.

Vamos envelhecer com saúde juntos? Encontre hábitos para a vida toda (e que duram a longo prazo) aqui no nosso site. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.