compre holistix
k

A nutricionista Gabriela Fregolente explica o que são alimentos termogênicos e quais são os melhores para incluir na rotina (com o acompanhamento de um especialista, claro)

alimentos-termogênicos-holistix

Muito se fala por aí em alimentos termogênicos, mas poucas pessoas sabem, exatamente, quais são eles e como agem em nossos corpos. Por isso, convidamos a nutricionista comportamental Gabriela Fregolente para falar um pouquinho sobre essas maravilhas da natureza. De acordo com ela. “todos os alimentos gastam energia para serem digeridos, ou seja, têm a capacidade de elevar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo, aumentando, assim, a queima de gordura. Porém, existem alguns que se destacam mais que os outros. Esses são chamados de termogênicos e, para serem melhor aproveitados, devem ser consumidos com o acompanhamento de um nutricionista que determinará, segundo as características de cada indivíduo, a quantidade correta para ingestão”.  

Quer conhecer alguns deles? Gabi dá o caminho!

Gengibre 

“Ao contrário do que se pensa, o gengibre não é uma raiz, mas um rizoma (um tubérculo, como a batata) com caules retorcidos. Rico em propriedades medicinais, é utilizado há mais de 3 mil anos como remédio para diversos males. O gengibre é fonte de vitamina B6, cobre, magnésio e potássio. Por ser antioxidante, aumenta a imunidade, embeleza a pele e o cabelo e pode prevenir o câncer (uma pesquisa do Instituto Hormel, da Universidade de Minnesota (EUA), concluiu que o gingerol – composto que dá sabor picante ao gengibre – retarda o crescimento de tumores no intestino). Essa planta de origem asiática também é antisséptica. 

Contraindicações: pessoas hipertensas ou que têm problemas estomacais, como gastrite e úlcera.” 

Café 

“A composição química do grão verde de café é bastante complexa. Durante o processo de torrefacção ocorrem diversas reações químicas, através das quais se degradam e/ou formam inúmeros compostos. Estima-se que o grão de café torrado possua mais de 2 mil compostos químicos – alguns deles com atividades biológicas conhecidas (adversas e/ou benéficas). 

Deste modo, os efeitos do consumo de café dependem da qualidade e quantidade dos compostos químicos ingeridos. Para se ter noção, o consumo é considerado moderado quando há ingestão de 3 a 5 doses diárias (aproximadamente 150 a 300 mg de cafeína). 

O principal componente psicoativo do café é a cafeína (1,3,7- trimetilxantina). Os efeitos comportamentais mais notáveis após a ingestão de doses baixas a moderadas são: melhoria na performance cognitiva e psicomotora (melhoria do estado de alerta, da energia, da capacidade de concentração, do desempenho em tarefas simples, da vigilância auditiva, do tempo de retenção visual e diminuição da sonolência e do cansaço). 

Contraindicações: por ser uma bebida estimulante, pode atrapalhar o sono se consumida à noite. Em pessoas sensíveis a cafeína, pode causar ansiedade e até crises de pânico – cuidado com o café expresso que é mais forte. O café também não é aconselhado para quem tem gastrite ou refluxo gastroesofágico.”

Chá verde 

“O chá verde contém componentes polifenólicos, que incluem flavanóis, flavandióis, flavonoides, ácidos fenólicos, além de cafeína. A American Dietetic Association sugere o consumo de 4 a 6 xícaras de chá verde ao dia, a fim de obter seus efeitos benéficos à saúde, como a prevenção de certos tipos de câncer. 

Contraindicações: entre os efeitos adversos do chá verde, foi relatado que seu consumo em grandes quantidades por 5 ano pode levar à disfunção hepática, problemas gastrointestinais e até mesmo diminuição do apetite, insônia, hiperatividade, nervosismo, hipertensão, aumento dos batimentos cardíacos e irritação gástrica. Consuma de acordo com a indicação de um nutricionista.”

Guaraná 

“A cafeína está presente na natureza em mais de 63 espécies de plantas, entre elas, o guaranazeiro, que apresenta os maiores teores da substância. A quantidade de cafeína do guaraná em pó pode variar de acordo com a região de plantio, o método de cultivo, contaminantes químicos e métodos de secagem. 

Por seu alto potencial medicinal, que inclui propriedades estimulantes, afrodisíacas e cicatrizantes, aproximadamente 70% da sua produção é destinada à indústria de refrigerantes e bebidas energéticas. O restante é comercializado principalmente em drogarias, em forma de pó, cápsulas e comprimidos, e às vezes misturado a outros ingredientes. 

A concentração média de cafeína do guaraná representa cerca de 3 a 6% do seu peso, podendo a quantidade dessa substância presente no pó do fruto ser até quatro vezes maior que a encontrada no pó do café. 

Contraindicações: o consumo excessivo de pó de guaraná pode trazer efeitos colaterais ligados ao excesso de cafeína, como ansiedade, inquietação, alterações de humor, tremores, perda de apetite, tensão muscular e palpitações cardíacas.

Canela 

“A canela (Cinnamomum zeylanicum) é uma especiaria milenar, de aroma agradável, estimulante dos sentidos e calmante para o nervos. Ela é retirada da casca de uma árvore encontrada no Sri Lanka e no sudoeste da Índia. Indicada para melhora da fadiga e depressão, também é um tônico para os sistemas respiratório e digestivo, e, em forma de chá, atua especialmente nas tosses, resfriados, gripes, dores de estômago e diarreia. 

Contraindicações: não é indicado para as gestantes em qualquer fase da gravidez. Isso porque a especiaria pode aumentar as contrações uterinas, elevando o risco de aborto. O alimento também não é interessante para lactentes e bebês.”

Pimentas 

“A pimenta preta ou do reino é conhecida também por possuir propriedades semelhantes às da pimenta-vermelha, mas com menos potência porque não aumenta a expressão de citocinas anti-inflamatórias, somente suprime as citocinas pró-inflamatórias. 

A ação da pimenta e seus efeitos no metabolismo humano acontecem de forma que quando uma pessoa ingere um alimento apimentado, a capsaicina ou a piperina estimulam os receptores sensíveis existentes na língua e na boca. Ao serem atingidos quimicamente por tais substâncias, esses receptores nervosos transmitem ao cérebro uma mensagem e imediatamente o cérebro gera uma resposta ordenando ações no sentido de salvá-lo da pungência da substância, com isso, vários agentes entram em cena para refrescá-lo e a pessoa começa a salivar, sua face transpira e seu nariz fica úmido. 

Contraindicações: deve-se haver cautela ao utilizar pimentas durante a gravidez, lactância e em portadores de problemas gastrointestinais, embora sejam indicados como estimulantes digestivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *