compre holistix
k

Uma analise de Charis Carelli, nossa colunista e coach de desenvolvimento pessoal, sobre a importância e benefícios da previsibilidade da rotina para o nosso cérebro

Apesar de estarmos incessantemente tentando construir novas e melhores rotinas (e a Holistix taí nos ajudando há bastante tempo), precisamos ser verdadeiras: nem sempre o sentimento diante dessa palavra é positivo.

Muitas vezes nos pegamos criando agendas, cronogramas, listas de tarefas, blocos de nota, tudo com uma intenção genuína de organizar a nossa vida e o nosso interior, mas parece que nem sempre o planejamento sai do papel. E isso pode estar, sim, diretamente relacionado à nossa sensação negativa diante dessa ideia de rotina.

Antes que eu possa te contar o porquê do nosso cérebro amá-la, quero te dar aqui um motivo para que você também ame. Lá vai: uma rotina boa é uma rotina que funciona pra você e que faz você extrair o melhor da sua vida. Você pode acordar cedo, meditar, praticar yoga, trabalhar em horários adequados, fazer suas refeições com calma, ter um ritual noturno – sim, você pode, MAS VOCÊ NÃO PRECISA.

Porque uma rotina funcional, ou seja, que funciona, depende de vários fatores externos e também de fatores internos, como a sua personalidade, as suas necessidades e o seu momento de vida. Então pra continuar lendo o meu texto de hoje, quero que você desapegue dessa ideia que enfiaram na nossa cabeça de que rotina e dieta são “one-size-fits-all”. Você, com o tempo e uma boa dose de autoconhecimento, vai encontrar a sua.

Mas então, Charis, por que você fala tanto que o cérebro gosta de rotina? Uma palavra explica tudo: previsibilidade. Mesmo que a gente não perceba, o nosso cérebro gasta uma energia enorme, todos os dias, para prever os acontecimentos. Isso faz parte da nossa fisiologia e tem uma única função que é a nossa sobrevivência. “Se eu sei o que vem a seguir, eu posso me preparar” – esse é o propósito de vida do nosso funcionário do mês, o cérebro.

Então a rotina é justamente o que dá para o cérebro essa boa dose de previsibilidade em tudo o que está no nosso controle. Veja, nós não controlamos boa parte do que vai acontecer. Nem no trabalho, nem fora dele. Mas há uma parte importante da vida em que exercemos quase 100% de controle, que são os nossos horários – de dormir, de acordar, de comer, de se exercitar.

Quanto mais nós damos essa boa dose de segurança para o nosso cérebro, menos energia ele gasta tentando prever tudo o tempo todo, e mais energia nos sobra para lidar com a imprevisibilidade do que realmente é imprevisível: os famosos imprevistos.
Se você faz as suas principais refeições sempre no mesmo horário, o seu corpo pode se preparar um tempo antes delas para emitir sinais de fome e pode também se preparar para o processo digestivo depois que você cruza os talheres.

Se você se deita e acorda sempre no mesmo horário, seu organismo fica bem mais organizado na produção de cortisol e melatonina, dois participantes fundamentais para o nosso ciclo circadiano. Pessoas que se exercitam sempre no mesmo horário costumam sentir que o corpo “pede” por movimento naquele momento do dia.

Então quando você cria uma rotina organizada, você tira a sensação de caos que o seu cérebro muitas vezes enfrenta. Além de ter uma sensação de vida mais “nos trilhos”, você facilita que todo o seu metabolismo participe desse plano. Eu costumo ler à noite, na cama, antes de dormir. Já percebi diversas vezes que tenho muita dificuldade de ler durante o dia, porque o meu cérebro não aquieta. Provavelmente o que acontece é que eu o treinei a entrar no “modo leitura” entre 20h e 21h e ele aprendeu a gostar disso – e até me recompensa, com uma leitura bem mais focada e ágil.

Então se você chegou até aqui, eu quero te dar uma ferramenta para que você faça um teste e avalie se essa reflexão faz sentido na sua vida. Nas próximas semanas, determine algumas atividades para serem âncoras da sua rotina. São algumas coisas que você faz todos os dias e que podem ter um horário determinado para acontecer. Pense em fixar horário para as principais refeições, para ir pra cama, para levantar-se e para praticar algum hobbie (se você não tem um, sugiro que leia um texto do mês passado sobre hobbies e saúde mental).

Apesar de serem âncoras, eu aposto minhas fichas que isso vai tornar a sua rotina mais leve, principalmente porque você vai liberar o seu cérebro e o seu organismo de ficar tentando adivinhar algumas funções básicas (agora é hora de dormir? de comer? de trabalhar? o que vem depois?) e te poupar de um tremendo gasto de energia.

Nos dias e semanas que conseguir seguir o seu plano, comemore suas vitórias e perceba qual é o impacto disso na sua vida. Quando não conseguir por motivos internos ou externos, não se julgue ou culpe. Entenda quais partes do seu plano precisam de um ajuste para que ele possa estar sempre disponível para as suas necessidades e te permita contornar os imprevistos.

Importante: você não trabalha para a sua rotina, faça ela trabalhar pra você 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *