compre holistix
k

Tensão, cansaço e esgotamento. Às vezes, a euforia do fim do ano não é capaz de superar o peso que sentimos no último mês do ano. Veja formas de aliviar os sintomas

Quando dezembro dá as caras, parece que todas as nossas atividades diárias ficam instantaneamente mais difíceis de serem praticadas, não é? Com a proximidade das festas de fim de ano e das confraternizações, é comum que a gente crie muitas expectativas sobre os reencontros, presentes e momentos felizes — o que torna a rotina de trabalho e estudos mais maçante e infinita.

Não dá para a gente se enganar. Assim que o último mês do ano pinta no calendário, ficamos esperando as férias, dias de folga e recesso. E tudo isso tem uma grande influência sobre como encaramos a nossa rotina: praticar exercícios físicos parece perda de tempo, começar um novo hábito saudável parece fora de hora e, até no trabalho, passamos a adiar demandas para o próximo ano.

Outro fator que gera um enorme cansaço mental é o ‘balanço geral’ intrínseco aos encerramentos de ciclos: “consegui fazer tudo o que me propus este ano?”, “bati as metas do trabalho?” e “conquistei aquele sonho que tinha prazo pra conseguir?” são alguns exemplos de expectativas que colocamos sobre nós mesmas. Resultado: frustração.

Que tal, então, dar uma extravasada e proporcionar momentos um pouco mais gentis a si mesma nessa reta final? Confira algumas das nossas técnicas queridinhas do momento — vale a pena testar para desopilar a mente.

Inspire, expire… e GRITE!

Parece bobeira, mas se permitir ter momentos catárticos como gritar, chorar e extravasar realmente os sentimentos ruins pode ser uma excelente estratégia para aliviar o peso sobre os ombros. Você pode fazer isso em um travesseiro, ao ar livre ou, se preferir, conte com a ajudinha do site “Scream into the void”. 

Faça desse momento um ritual de liberar o que tem sugado as suas energias e emoções reprimidas, grite ou escreva tudo o que te faz mal para liberar espaço dentro de si. No site, você digita o que quiser e alguém grita por você. Aproveite para gritar junto!

Faxina de fim de ano: limpar o que não serve para atrair o novo

Um dos rituais de fim de ano mais tradicionais é dar aquela geral na casa e doar tudo o que não tem mais serventia para a gente, não é? Acredite se quiser: desapegar é preciso. Às vezes, nos prendemos a objetos, roupas e outros itens antigos que nem usamos mais e que, na verdade, só ocupam espaço.

Muitas coisas, é claro, têm valor simbólico e sentimental para a gente. Mas vale a reflexão que aprendemos com a especialista em organização pessoal Marie Kondo: “Isso me traz alegria?”. Para te inspirar nesse processo terapêutico de organizar seu espaço físico, dê o play em “Ordem na Casa”, série documental da Netflix com a gênia da arrumação. 

Passe seus pensamentos, expectativas e emoções para o papel 

Muitas vezes a sobrecarga mental vem de nós mesmas. Colocamos muitas expectativas sobre nossa rotina e nos julgamos e criticamos mais do que outras pessoas, não é? Uma forma de aliviar esse peso é, realmente, escrever seus receios, ambições e sentimentos.

Deixe suas expectativas sobre si para o seu eu do futuro com uma carta! Essa é a proposta do site “FutureMe”, no qual você pode escolher receber um e-mail em um, três ou cinco anos. Assim, você consegue comparar sua vida atual com a do passado e enxergar com mais clareza tudo o que conquistou de lá pra cá.

Às vezes, ficamos tão imersas no nosso dia a dia corrido que esquecemos de botar reparo nas nossas conquistas — e ao invés de reconhecermos nossos esforços, colocamos mais metas e objetivos sem antes parar, respirar e admirar o que conquistamos até o momento. Que tal tentar praticar o mindfulness com uma carta superespecial? 

Veja, sinta, pense e faça

Outro clichê de grande valia: pense antes de fazer! Nós temos uma grande tendência de viver a vida no automático e, por isso, estamos constantemente buscando formas de estarmos mais conscientes sobre tudo o que fazemos: inserindo mini-hábitos saudáveis, separando tempo de qualidade para passar sozinha, consumindo alimentos saudáveis e nutritivos. 

Quando vivemos na correria, é comum que a gente nem pense antes de fazer algo. E, assim, saímos quando precisamos repousar em casa, bebemos outra taça de vinho ‘porque todo mundo está bebendo’ e por aí vai. Vale o lembrete: você realmente quer o que deseja? 

Antes de sair dizendo ‘sim’ e se comprometendo com várias atividades, questione-se: “Quero mesmo fazer isso?”. Dizer ‘não’, é difícil, mas vale o exercício — que pode trazer um baita alívio!

Procure evitar espaços que te causam desconforto

Em época de festas de fim de ano, nem todo reencontro é positivo. Pior ainda é quando não conseguimos evitar participar desses eventos. 

O contato com familiares pode ser gatilho para vários desconfortos e comentários inoportunos: peso, sucesso financeiro, trabalho e estudos são alguns exemplos. E, por mais difícil que pareça pensar dessa forma, você não precisa ouvir ou dar atenção ao que te faz mal.

Ao primeiro sinal de algo que te deixa constrangida, levante-se, peça licença e tome um tempo para si em outro lugar. Outra dica é fingir que não entendeu ou que não ouviu. Busque não tentar educar a pessoa ou repreendê-la: sabemos que não vai adiantar de muito, não é? 

O melhor a ser feito é se blindar e deixar os comentários se dissiparem pelo ar. Se puder, saia mais cedo ou, também, busque passar as datas comemorativas com amigos ou outras pessoas que te façam bem. Depois de anos tão difíceis, merecemos essa trégua, não? 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.